.


.

 

 

 


A falta de verbas compromete o normal desenvolvimento da UBI


Plano de Actividades para 2000 aprovado em Senado
UBI "autofinancia-se"

O Plano de Actividades da UBI para 2000 foi aprovado em reunião de Senado, realizada a 18 de Fevereiro. A Academia, tendo em atenção condicionantes como a sua localização no Interior e o elevado insucesso escolar verificado nos dois primeiros anos dos cursos ministrados, pretende responder com uma melhoria das condições para o ensino. Este objectivo passa por uma maior qualificação do corpo docente e das infra-estruturas da UBI.
De acordo com o documento, a universidade vai crescer em área, com a aquisição de novos espaços; e em oferta de cursos, com seis novas licenciaturas. Um investimento que atinge os 4 milhões e 750 mil contos, e que obriga a universidade a avançar com receitas próprias.


As traves mestras do Plano de Actividades (PA) da Universidade da Beira Interior (UBI) para o ano 2000, documento aprovado na última reunião do Senado, em 18 de Fevereiro, assentam num alargamento da instituição a nível físico e interno. As despesas previstas atingem os 4 milhões e 750 mil contos, deixando a universidade com um défice de 350 mil contos, e obrigando a investir receitas próprias (propinas, taxas e emolumentos) em despesas de funcionamento.
Consciente das diversas condicionantes a que a instituição está sujeita, nomeadamente a sua localização geográfica, a UBI pretende criar mais incentivos às candidaturas de docentes e discentes no decorrer deste ano.
"Ministrar um ensino de qualidade" passa por um corpo docente e não docente qualificado. Neste sentido, o PA prevê um pequeno aumento do número de docentes, ampliando o número de doutorados e assistentes estagiários admitidos a provas de mestrado e doutoramento.
Há também a intenção, confirmada no discurso de tomada de posse do Reitor Santos Silva, de apostar na formação e reciclagem do pessoal não docente ao serviço da instituição.

Novos cursos em estudo

As novas licenciaturas em Português/Espanhol (Ensino), Português/Inglês (Ensino), Design Têxtil e do Vestuário, Design Multimédia, Cursos de Complemento de Formação de Professores e Ciências da Saúde vão começar em Outubro do corrente ano. Este incremento vai provocar um ligeiro aumento da população escolar da UBI, prevendo-se que ronde, no próximo ano escolar, os 4400 alunos.
Ao mesmo tempo, vai proceder-se, ao longo do ano, à avaliação dos cursos já existentes, e ao início de estudos para a criação de novos cursos de Artes e Letras, Ciências da Saúde e Ciências Sociais e Humanas. As hipóteses previamente consideradas são Arquitectura, Ciências Musicais, Psicologia e Biologia.

Mais Investigação

As actividades de investigação financiadas pela Fundação para a Ciência e Tecnologia, INTERREG II, PRAXIS e ARIES vão prosseguir.
Por outro lado, para além dos mestrados em funcionamento, a Academia tenciona ainda criar durante este ano mais pós-graduações na área da Engenharia do Papel, Ciência e Tecnologia Têxtil, Energia e Economia, e ainda em Medicina.
A UBI vai estudar ainda a implementação de mestrados em Sistemas e Tecnologias da Informação, Didáctica do Português - Língua Materna/Língua Estrangeira, Bioquímica Clínica, e Têxteis Técnicos.

Adquirir com receitas próprias

A UBI vai continuar a aquisição de terrenos e edifícios, prioritariamente financiados por receitas próprias, entendendo que só desta forma se pode viabilizar o seu desenvolvimento.
Está prevista, numa primeira fase, a aquisição gradual de terrenos e prédios localizados junto ao Pólo da Degoldra e, posteriormente, no Pólo da Carpinteira.
Algumas instalações dos Serviços de Acção Social (SASUBI) irão sofrer modificações. A Residência IV vai ser melhorada, e a construção de acessos à sede da SASUBI vai prosseguir, designadamente com o alcatroamento da estrada que liga o Bairro de Nossa Senhora ao serviço.
Calcula-se também que as obras de restauro do Gimnodesportivo sejam concluídas em 2000. Há ainda a intenção de instalar um Salão Multiusos, cuja localização está por definir.

AAUBI responsabiliza ME

No mesmo dia em que o Plano de Actividades era apresentado, a Direcção da AAUBI e os alunos eleitos no Senado exigiam uma tomada de posição ao Ministério da Educação relativamente ao Financiamento do Ensino Superior.
Numa carta à imprensa, o presidente da Associação Académica, Vasco Cardoso, mostra a preocupação dos alunos em relação ao défice orçamental da UBI de 350 mil contos, quando as despesas previstas ultrapassam os 4 milhões e 750 mil contos. Para os estudantes este panorama aponta para "graves prejuízos para a qualidade de Ensino que é ministrada nesta Instituição". Vasco Cardoso fala mesmo na hipótese de a Universidade vir a sofrer uma ruptura financeira, caso não haja uma injecção de capital por parte da tutela.

Raquel Fragata






.

 Primeira Ubi  Covilhã  Região  em ORBita  Cultura  Desporto Agenda